Bom senso é igual braço: tem gente que não tem

Semana passada a Gabi postou o vídeo de uma ação do Guaraná Antarctica que aproveitava as tradicionais pegadinhas de Primeiro de Abril pra apoiar uma causa bacana baseada na lenda que juntando 1000 anéis de latinhas você podia trocar por uma cadeira de rodas.

Pra variar, apareceu alguém pra dizer que era verdade e que fulaninha não sei de onde já juntou esse tanto de anéis – e desenvolveu uma gastrite fodida – e que era um absurdos as pessoas duvidarem disso.

Bom senso é item raro nos dias de hoje, afinal pra desmascarar essas lendas basta raciocinar um pouco. Tomemos como exemplo a história da gangue de palhaços sequestradores. Diz a lenda que o bando de palhaços estacionava a Kombi perto de um local com grande fluxo de crianças, atraia os pestinhas até lá com guloseimas e os usava para os mais diferentes propósitos: pedir resgate, vender orgãos, ou até mesmo pra montar um grupo de covers mirins do É o Tchan pra aparecer no Raul Gil. Enfim, existem várias possibilidades.

Agora pensa na mão de obra que isso daria: pra começar, você precisaria comprar uma Kombi (e convenhamos ninguém mais anda de Kombi por aí). Se você precisasse eventualmente fugir da polícia, eles te alcançariam a pé. Depois você teria que comprar algumas roupas de palhaço. Ninguém parou pra pensar que palhaços não andam assim o dia inteiro? Quantos palhaços você já viu no banco, esguichando água no gerente? Ser um fora da lei implica em não chamar a atenção das pessoas e dificilmente você conseguirá isso calçando um sapato 56 e um nariz vermelho.

Essa lógica vale também pro cara que tinha HIV e pra se vingar do mundo colocava seringas contaminadas nas poltronas do cinema. Comprar uma quantidade industrial de seringas, tirar sangue em períodos regulares (pra não morrer de uma vez), guardar diversas seringas contaminadas, pagar DEZOITO REAIS em cada sessão de cinema, rasgar uma poltrona por sessão e finalmente espetar o negócio com a agulha pra cima. Tudo isso, partindo do pressuposto que ele só pegaria sessões lotadas – afinal, se o cara fosse burro (e se ele fez todo esse processo, ele realmente era), era grande a chance de ele aplicar esse plano em uma sala do Gemini, passando Titanic em plano ano de 2003 na sessão das 15hrs numa segunda feira.

Como diria o Christian Bale:

THINK FOR ONE FUCKIN' SECOND

Repassem esse post. A cada 100 shares, a AOL vai dar US$ 245,00 pra todos vocês.


2 comments


Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s